Acuario Rosa

Todo lo que rodea a la acuariofilia

Entrevista com Cliff Hui

Entrevista com Cliff Hui
por Óscar Pereiro

Sr. Hui, antes de mais, queria agradecer-lhe o dedicar-nos um bocadinho do seu tempo. Para principiarmos, podia contar-nos um pouco acerca de si, onde é que mora, como é que é o seu dia-a-dia, qual a sua profissom…? Qualquer cousa que julgue ser de interesse para os aquaristas.
Moro em Hong Kong. Trabalhava na produçom de filmes, na qualidade de guionista e editor e, umha vez que nom se tratava de um trabalho rotineiro nem de horário fixo, há poucos anos comecei a dedicar o meu tempo de lezer a colaborar com umha loja de aquários no desenho dos aquários. Agora acontece que estou a dedicar a maior parte do meu tempo a esta actividade, embora esteja convicto de que algum dia retornarei ao campo cinematográfico.

Um cantinho do meu actual quarto de trabalho

Há 12 anos, quando começava a trabalhar na indústria cinematográfica

Como e quando é que se voltou para o passatempo de montar e conservar aquários?
Realizei o meu primeiro aquário com plantas há cerca de sete anos. Adoro criar e elaborar qualquer cousa em forma artística, o que constitui umha inclinaçom ou traço do meu carácter. As plantas aquáticas causam-me umha forte impressom de beleza e de vitalidade, de modo que já desde o momento que comecei a informar-me sobre o tema, me tornei adepto delas, e tento mostrar o melhor que podo a sua beleza realizando paisagens de aquário.

Outro cantinho do meu gabinete.

Os seus som aquários muito conhecidos, e alguns deles podem ser vistos aqui. Qual destes aquários é o seu favorito e porquê?
Francamente, gosto muito do “Destiny” e, de facto, ele contém a paisagem em que investim mais tempo. Cada umha das fases da sua elaboraçom ainda a tenho viva na mente. Quando a ideia que lhe subjaz surgiu na minha cabeça, dediquei muito tempo a reflectir sobre o melhor modo para a paisagem ficar com um aspecto natural, e tentei recolher e cultivar todas as plantas que julguei fossem adequadas. Pedim a amigos entendidos para me indicarem onde eu podia encontrar pedaços de madeira flutuante apropriados e, afinal, empreguei quatro dias e noites para dividir um grande pedaço de madeira flutuante de aspecto estranho em 15 porçons e para reorganizá-las para constituir o hardscape. Agora parece difícil acreditar que duas raízes de árvores provenham de umha das porçons dessa estranha madeira flutuante, a qual nem vagamente se assemelhava, à primeira vista, a umha árvore ou a raízes.

Destiny 2008

O senhor pertence ao prestigioso “clube” CAU (Creative Aquascape Union)… Como é que ele foi fundado? Poderia explicar brevemente quais os seus principais objectivos? É ainda possível o ingresso no CAU de mais aquariófilos ou já está fechado a novos membros?
O CAU é um colectivo que surge a partir de um grupo de amigos que partilham do mesmo passatempo, a criaçom de paisagens de aquário. O principal objectivo do CAU é promover este passatempo em todo o mundo e divulgar a noçom de se tratar de umha verdadeira forma de arte. Neste mesmo mês, incorporámos ao colectivo um novo membro, o aquarista Tony Wong, quem é, também, um dos nossos melhores amigos.

Membros do CAU na reuniom do novo ano lunar 2008

A opiniom deste entrevistador é que existe umha “cultura aquarística ocidental” (Europa e América) e umha “cultura aquarística oriental” (Ásia), sem que se verifiquem, quase, trocas comunicativas entre ambas, e com umha superioridade universalmente reconhecida dos aquaristas orientais no relativo à criaçom de paisagens de aquário. Apesar disto, tem você algum conhecimento da “cultura aquarística ocidental”? Há algum aquarista europeu ou americano que aprecie?
Em primeiro lugar, devo dizer que nom penso que hoje se registem grandes diferenças entre as “duas culturas”, ainda que elas sim eram bastante diferentes há cinco anos. Há cinco anos, os aquariófilos “ocidentais” gostavam de realizar jardins e biótopos, enquanto os aquariófilos asiáticos preferiam os Iwagumi e os hardscapes, mas, agora, acho que estám misturados. Assim, eu vejo que muitos aquaristas da Europa e da América fam paisagens de estilo NA (Nature Aquarium), e muitos asiáticos tomam grande cuidado em estabelecer plantas em boas condiçons de saúde. No entanto, com maior freqüência vejo aquariófilos de todo o mundo a tentarem integrar todos os estilos. Tenho que dizer, além disso, que a disponibilizaçom de fotografias dos aquários na Internet constitui a melhor troca comunicativa, já que é possível obter muita informaçom a partir das fotografias, mesmo quando se desconhece a língua das correspondentes legendas. Hoje a Internet está cheia de sítios e de fotografias de aquários.

Recentemente, o senhor participou com o seu aquário “Treasure” em dous prestigiosos concursos, o IAPLC e o CTA, vindo a ser declarado vencedor deste último. O Sr. Filipe Oliveira nom há muito tempo fijo o seguinte depoimento para este sítio internético: «Nom consigo entender como é que foi atribuído o primeiro prémio no IAPLC. Na minha opiniom, há criaçons paisagísticas muito melhores do que essa… Eu nunca compreendim os critérios de avaliaçom dos juízes da ADA». A opiniom deste entrevistador é que o aquário do Sr. Hui (e isto nom é mera adulaçom!) devia ter atingido o primeiro posto no concurso da IAPLC, ou, polo menos, um entre os três primeiros… Da mesma maneira, embora o aquário “Destiny” que apresentou no ano passado fosse o favorito para a maioria dos aquariófilos, ele terminou só no quarto lugar… Está de acordo com estas avaliaçons? Em Espanha muitos aquaristas consideram o senhor o melhor criador de paisagens de aquário do mundo… Nom acha que o seu trabalho nom está a ser avaliado com justiça nos concursos?
Tenho de agradecer as suas amáveis palavras e também as dos aquaristas espanhóis. Eu som pessoa muito optimista, adoro a criaçom de paisagens de aquário e gosto da maior parte dos aquaristas e do seu trabalho. Sempre é complicado comparar “obras de arte”, quer se trate de música, pintura, cinema, dança ou paisagens de aquário. Participar em concursos apenas representa umha porçom desta actividade, e deveríamos passar mais tempo a desfrutar com ela.

A respeito da montagem dos seus tanques, de onde é que tira a inspiraçom na altura de criar os seus aquários? Observa algumha norma ou proporçom de referência quando cria os seus aquários? Como é que obtém o material (pedras e rochas) que utiliza nos seus substratos?
A inspiraçom é umha cousa muito indefinida, ainda que nunca sentim a falta dela. Nom tenho um modo estabelecido para realizar as minhas criaçons, embora, naturalmente, as técnicas e destrezas básicas sejam sempre importantes, bem como umha boa preparaçom antes de se abordar a elaboraçom das paisagens. Tento fazer cousas situadas entre o novo e o estabelecido. A norma, o padronizado, sempre está na minha mente e leva-me a trabalhar de um modo que nom aspira à originalidade pola originalidade. A realizaçom de paisagens de aquário é umha cousa muito pessoal, na qual as inclinaçons e a criatividade som muito importantes, mas ela também tem a ver com umha aproximaçom à natureza, com a sensaçom de paz, e eu sempre tento atingir um equilíbrio entre ambos os aspectos.

Reúno os materiais, que me som fornecidos por lojas ou por amigos, depois de me surgir umha imagem na mente, o que, acho, fai todo o mundo.

Agora, se nom se importar, umhas quantas questons técnicas: Que tipo de substrato utiliza?
ADA Aqua Soil Amazonia I

Acha que a filtraçom é um elemento importante?
Naturalmente que sim. A condiçom da água é o factor mais importante para um aquário.

Que outros elementos julga fundamentais na altura de montar um aquário?
Mais nada.

Quê espécies de peixes e plantas prefere para as suas criaçons?
Os peixes-limpadores, já que eles interagem com as plantas e com as paisagens, e é maravilhoso vê-los deslocar-se ou jazer sobre as plantas. Adoro a Glossostigma elatinoides que eu utilizo de diversos modos, e com diferentes propósitos, em todas as minhas criaçons.

Podia explicar brevemente, por favor, como é que monta um aquário desde o princípio? Já à partida utiliza toda a iluminaçom? Renova periodicamente a água à medida que o aquário amadurece? O aparecimento de algas no aquário deve ser avaliado como normal ou deve ser evitado?
Eu enceto as minhas criaçons como todos os aquaristas. Feita a base, elaboro o substrato e ponho plantas um pouco antes de a água atingir as condiçons de maturidade. Metade da iluminaçom deve usar-se antes de todos os elementos se tornarem estáveis. Mantenha limpa a água mediante a sua renovaçom… cada quanto tempo? Depende da sujidade do tanque e das condiçons das plantas, dos peixes e das algas. Proceda entom a estabelecer as plantas e a apará-las. Regule a paisagem antes de que seja demasiado tarde. Isto é, de facto, o que fai a maioria dos aquariófilos, e eu nom procedo de modo diferente.

Que tipo de fertilizante utiliza?
Normalmente, o TMG, o ADA brightly K e o ECA.

Permita-me, por favor, abordar agora um assunto espinhento, polo menos entre os aquaristas espanhóis. Nom há unanimidade quanto à bondade dos produtos da ADA, pois algumhas pessoas opinam que eles sejam facilmente dispensáveis, que o material de vidro dessa marca se suje com demasiada facilidade e seja excessivamente frágil, etc. Qual é a sua opiniom em relaçom a esses produtos e a essa prestigiosa marca?
Penso que a ADA é umha marca que tenta seguir um estilo concreto. Na minha opiniom, as pessoas devem utilizar aquilo que melhor se adaptar às suas necessidades, e tenhem o direito de escolherem. Os fertilizantes da ADA nom som tam pesados, já que som concebidos em funçom do aspecto geral e para “conservarem” as plantas, mas nom para lhes fazer crescer umha “enorme cabeça” de 5 cm. Os solos da ADA, junto com os seus fertilizantes, som já suficientes para cultivar as plantas nas paisagens de estilo NA habitualmente utilizadas. A respeito dos produtos de vidro, devo dizer que os tenho usado e os tenho vendido aos meus clientes. Acho que nom é tam complicado usá-los, apenas se necessita paciência e um manejo cuidadoso. A paciência sempre é necessária neste passatempo, de modo que eu nom vejo aquí tanto problema e, especialmente quando se necessita um aquário aberto, os produtos de vidro sempre som vantajosos.

As fotografias dos seus aquários som extraordinárias. Podia dizer-nos, por favor, a que técnicas (flashes, lentes, etc.) recorre?
A fotografia é só importante para a Internet e para os concursos, como já dixem, e eu gosto mais dos meus aquários reais. Os amigos que tiram fotografias das minhas paisagens, o Gary Wu e o Alan Chan, som verdadeiros génios. Mas, há algo assim como umha técnica especial…? Isso é cousa que só eles sabem… O que eu sei é que Nikon ou Canon nom é o importante, e os dous amigos utilizam as duas marcas. Eles recorriam nalgumhas ocasions às objectivas de grande abertura, mas, após algumhas provas, revelou-se que elas nom som apropriadas para todas as paisagens. Eles normalmente usárom flash, de modo a suscitar umha sensaçom agradável e dinámica.

Vou proferir umha lista de palavras, e pido-lhe para nos dizer o que primeiro lhe vinher à cabeça: Takashi Amano.
ADA

Diana Walstad.
Aquariófila que tem um aquário de peixes e plantas, e que o conserva de um modo diferente a como eu o fago.

Tom Barr.
Compartilhamos o passatempo, mas diferimos na focagem.

Dave Chow.
Um dos melhores!

ADA.
Takashi Amano

Fotografia.
O meio

Fóruns.
Compartilhar.

AGA.
Um dos maiores concursos.

Algas.
As minhas espias; elas informam-me sobre as condiçons do tanque. Preocupas-te por elas quando começas, nom te preocupas quando tens experiência, e voltas a preocupar-te quando te tornas preguiçoso.

Concursos.
Um modo de permitir às pessoas verem as tuas criaçons paisagísticas.

Paisagens de aquário.
A minha actividade favorita.

Hemianthus callitrichoides
Umha planta aquática maravilhosa.

Lily pipes.
A surpresa de um aquário aberto.

Além da aquariofilia, tem algum outro passatempo?
Adoro os filmes e o desporto, especialmente o futebol.

Esta entrevista fica por aqui, Sr. Hui. Mais umha vez, obrigado e os melhores cumprimentos.

3 Respuestas a “Entrevista com Cliff Hui

  1. Seiti 7 enero 2010 en 19:01

    O Cliff faz mágina nos aquários cada um melhor que o outro, excelente entrevista!
    E parabéns pro Acuáriorosa =D

  2. Rogerio Ferreir 16 enero 2010 en 2:44

    Muito loco…

  3. Óscar Pereiro 18 enero 2010 en 0:12

    Obrigado Seiti e Rogerio…. A entrevista está escrita em Galego-potuguês… Acho que se percebe bem, nao é ? 😀

Responder

Introduce tus datos o haz clic en un icono para iniciar sesión:

Logo de WordPress.com

Estás comentando usando tu cuenta de WordPress.com. Cerrar sesión / Cambiar )

Imagen de Twitter

Estás comentando usando tu cuenta de Twitter. Cerrar sesión / Cambiar )

Foto de Facebook

Estás comentando usando tu cuenta de Facebook. Cerrar sesión / Cambiar )

Google+ photo

Estás comentando usando tu cuenta de Google+. Cerrar sesión / Cambiar )

Conectando a %s

A %d blogueros les gusta esto: